Câmara Municipal adia votação do Orçamento Municipal para 2016.

por Anderson Moura — publicado 25/11/2015 15h39, última modificação 25/11/2015 15h39

O orçamento municipal para o exercício de 2016, que deveria ser votado na sessão desta terça-feira (24), voltou às comissões depois de receber emendas dos vereadores Fernando Pacheco (PMDB) e Maurício Rufino (PT) para cumprimento ao que ficou definido através de outra emenda dos mesmos vereadores, da Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO) que prevê um percentual para pagamentos de precatórios. Para o vereador  Fernando Pacheco, o valor orçado para pagamentos de precatórios, deveria ficar em aproximadamente R$ 2,4 milhões e no orçamento atual, consta apenas R$ 1,4 milhões.

O vereador Maurício do Vale Rufino, observou, também,  que para que a Lei Orçamentária Anual (LOA), fosse votada em plenário, é necessário que o Executivo Municipal promova pelo menos uma audiência pública. O que não ocorreu até o momento.

O presidente da Mesa Diretora, Antônio Pereira Batista, após consultar o plenário, decidiu encaminhar correspondência ao executivo solicitando a audiência pública.

 

OUTROS ASSUNTOS:

O projeto nº 3/2015 do vereador José Augusto Guerreiro Titoneli, que torna obrigatória a implantação de Câmeras de videomonitoramento no terminal de ônibus de Cataguases, também não foi votado pelo fato do vereador estar viajando com compromisso previamente agendado.

 O Conselho Municipal de Educação  enviou correspondência para Mesa Diretora, esclarecendo que até o momento, não foi consultado sobre as mudanças pretendidas pela Secretaria Municipal de Educação e que vem tomando conhecimento das mudanças por intermédio de servidores da educação.

 Representantes da Comunidade Terapêutica Plenitude estiveram nesta noite de terça-feira, expondo aos vereadores o cancelamento do convênio “Aliança Pela Vida”, mantido pelo Governo de Minas com aquela entidade. 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.